Beleza, Curiosidades, Dica, Lançamentos, Saúde

Novidade no consultório do dermatologista: Laser de picossegundos para tratar melasma e outros tipos de manchas na pele

Eu <3 encher vocês de novidades!!! Até porquê o mercado Beauty nunca fica saturado. Muito pelo contrário, está se inovando numa velocidade tão impressionante que muitas vezes que nós influenciadores (as) da área, não damos conta de trazer todos os lançamentos e tendências ao mesmo tempo!!!

Mas quando chequei essa pauta, achei super interessante afinal, me identifico muito com a cosmetologia pois vai muito além da produção, utilização e funcionalidade de cada cosmético. E o post de hoje é uma evidência clara disso. Quer ver??? Então, bora lá pessoal 😉

A cosmetologia tem profunda ligação com a estética e Procedimentos envolvidos: A Propósito, a busca por tratamentos estéticos é algo que também está crescendo cada dia mais; e com isso novas técnicas e equipamentos estão sendo desenvolvidos e já encontram-se disponíveis em clínicas dermatológicas e em centros estéticos especializados

images (4)

Quando termina o verão, mais pessoas procuram os consultórios dermatológicos para tratar as manchas na pele, especialmente no rosto. Os pacientes estão em busca de procedimentos que causem menos desconforto e sejam mais modernos e eficientes. E, uma das principais novidades em tratamentos é o uso do Laser Alexandrite (755nm), do equipamento Picosure, com pulsos de picossegundos, que produz um impacto fotomecânico na pele, com pulsos ultrarrápidos, de curtíssima duração (trilionésimos de segundos).

images (5)

Por causa disso, ele garante eficiência, sem esquentar diretamente a pele por fototermólise, o que ocorria em todos os lasers anteriores. O Picosure foi o primeiro laser do mundo a ter picossegundos, sendo o precursor da tecnologia de ondas de choque (pressurewave), sem o uso de fototermólise (calor). A ação fotomecânica do laser de picossegundos diminui consideravelmente a vermelhidão (eritema) após o procedimento e o risco de queimaduras, tornando estes equipamentos muito mais seguros para pacientes e médicos. Além disso, a tecnologia elimina a necessidade do paciente se afastar das atividades do dia a dia (downtime) – nada de pele descamando, com edemas ou sensibilizada.

Agora, vamos acompanhar as explicações da Dra. Eveline Bartels (CRM 35403 / RQE 14976) sobre sobre o uso do Laser Alexandrite (755nm) com pulsos de picossegundos para minimizar melasmas, melanoses solares e hipercromias pós-inflamatória, além de abordar a relação entre os tipos de manchas e os fototipos (cor da pele). 

  • Quais os principais tipos de manchas que podem ser tratadas com o laser de picossegundos?

    Dra. Eveline:  Praticamente todos os tipos de manchas podem ser tratadas com o laser de picossegundos. As mais frequentes são: os melasmas, que são manchas acastanhadas mal delimitadas que podem surgir na face e, até mesmo, no colo e braços. Tem origem genética, mas podem ser precipitadas e/ou exacerbadas pela exposição excessiva ao sol, após uma gestação ou até mesmo pelo uso de anticoncepcionais. Temos ainda as melanoses solares, que são pequenas manchas de sol, habitualmente amarronzadas e redondas que se apresentam nas mãos, colo e rosto. São muito comuns em pacientes acima de 50 anos. Devemos citar também as hipercromias pós-inflamatórias, que são manchas que aparecem após a cicatrização de um machucado ou inflamação da pele, como acne, por exemplo. Surgem por causa da exposição da ferida ao sol, sendo mais comum em peles morenas.

  • Qual é o protocolo de tratamento com o laser de picossegundos para cada uma destas manchas e quantas sessões, em média, devem ser realizadas?

    Dra. Eveline: O protocolo de tratamento é variável. Para o melasma, o tratamento é proposto com quatro sessões iniciais, com intervalo de 30 dias entre cada sessão. Na fase de manutenção, as sessões são realizadas em intervalos variáveis, de acordo com a evolução clínica e remissão do melasma. Preconiza-se a indicação de pelo menos uma sessão a cada seis meses. Para o rejuvenescimento, são indicadas três sessões em intervalos mensais. No caso de melanoses solares e hipercromias pós-inflamatórias, que são manchas isoladas e escuras, o protocolo pode variar de uma a três sessões, e o tratamento pode ser associado a um peeling para melhorar a textura da pele também. É importante ressaltar que esta nova tecnologia se diferencia por não afastar os pacientes das suas atividades habituais. O período de recuperação é mínimo e os resultados já começam a ser visíveis depois da primeira semana.

  • Existe algum tipo de relação entre tipo de mancha e fototipos? (manchas mais comuns em peles claras, escuras etc).                                                                                                                                                                                         Dra. Eveline: O melasma pode acometer tanto as peles mais claras quanto as mais escuras, principalmente pela miscigenação étnica que ocorre no Brasil. As pacientes mais branquinhas costumam se incomodar mais, pois o contraste com a mancha fica mais acentuado. Por outro lado, os melasmas em peles mais morenas, normalmente, são de controle mais difícil. Já as hipercromias pós-inflamatórias são muito mais comuns em pacientes morenas, sendo frequente a busca por um tratamento que seja eficiente e seguro para este tipo de pele.

  • Quais os principais cuidados com a pele após o tratamento, de acordo com o tipo de mancha?                                                                                                                                                                                                                                                    Dra. Eveline: Durante o tratamento das manchas é fundamental o cuidado com a proteção solar rigorosa. Qualquer tipo de mancha tem predisposição a piorar quando é exposta ao sol. O tratamento com o laser de picossegundos é bem gentil, e não machuca a pele. O resultado disso é um tempo de recuperação bem curto (em geral apenas algumas horas), o que permite que as pacientes se tratem sem a necessidade de se afastarem de suas atividades. Uma vez que o melasma não tem cura, é fundamental o uso de produtos à base de ácidos e clareadores para que se mantenham os resultados do procedimento a laser.

Muito legal né?! Espero que vocês tenham gostado 🙂 Esse post além de muuuuuuuuuuuuuuuito informativo, sem dúvida foi bastante esclarecedor (principalmente para essa digital influencer que vos escreve) 😉

Essa pauta incrível foi sugestão da MEDPRO: Uma  empresa brasileira, importadora e distribuidora de produtos de altíssima tecnologia, fundada no ano de 2006. Atua no segmento de dermatologia, cirurgia plástica e estética, provendo soluções para Restauração da Saúde e Beleza da Pele. Importa e comercializa aparelhos de Laser, Laser de Picosegundos, Luz Pulsada, Radiofrequência, e Imagens, todos registrados na ANVISA, que proporcionam tecnologia de ponta para tratamentos estéticos e de doenças da pele.

Deixe uma resposta